quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Na fazenda

Sentada a beira de um lago,
Vejo a luz do sol brilhar em minha pele.
Sinto o aroma das flores coloridas que o cercam.
Sinto o vento passar por mim,
e balançar meus cabelos.
Vejo o quanto as plantas balançam,
de um lado para o outro.
Vejo o lindo céu azul e os pássaros que por ele voam.
Observo o redemoinho de terra que se forma
e pinta o céu de marrom.
Observo as lindas borboletas,
que voam sobre as árvores.
A água gelada em meus pés,
me dá uma sensação relaxante.
O cheiro de estrume que pode até não ser bom,
mas, que dá uma sensação der estar diretamente ligada ao meio natural.

Um comentário:

Abel Reginatto disse...

"Na fazenda" - MARAVILHOSA!
Ao ler esta poesia me senti como se estivesse lá. Parabéns, Bê!