quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Meu eu

As vezes eu paro,
e fico a pensar no que aconteceu.
As vezes me volto para você,
e não acredito que estamos frente a frente,
e a minha vontade de abrir meus sentimentos some.
As vezes eu choro,
mas não sei porque.
Será por causa de você?
Quando estou ao seu lado eu perco o ar.
Quando estou ao seu lado não sei o que faço,
não sei o que digo,
não sei o que penso,
parece que fico com tanta vergonha.
Quem será capaz de me causar tudo isso?
Isso eu mesma me pergunta,
isso é o que eu quero saber,
porque é ele que me deixa assim.
Será mais uma paixonite de adolêscencia?
Pode ser que sim, mas pode ser uma paixão pra vida inteira
ou pode ser mais um desses garotos que fisga o seu, o meu coração.

Um comentário:

Abel Reginatto disse...

Querida Be, comento aqui o teu trabalho sem citar esta ou aquela poesia pois todas me encantam. Mas escolhi esta porque ela me causou um inusitado - e esquecido - tremor interno, o do adolescente. E retornei ao passado, e descobri que adolescência não é uma etapa da vida, mas um estado de espírito.
Muito obrigado pelo teu dom!
Um beijo carinhoso e amigo!
Abel Reginatto