quarta-feira, 9 de julho de 2008

A morte

A morte chega,
Te leva,
Não escolhe dia,
Não escolhe hora,
Não escolhe nada.
Trás tristeza,
Solidão,
Lágrimas.
Vai matando,
Sem olhar a quem,
Rápido ou de mansinho.
A morte leva tudo embora,
Tudo,
Vai te destruindo.
Não prefere os ricos ou os pobres,
Os entendidos ou sabidos.
Nessa hora,
Todos são iguais.

Um comentário:

gika11 disse...

Muito interresante esse poema...
profundo e verdadeiro!
adorei!

bjsss***